<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12023629\x26blogName\x3dPharm%C3%A1cia+de+Servi%C3%A7o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://pharmaciadeservico.blogspot.com/\x26vt\x3d5339164314434841800', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico_at_gmail.com

Oportunismo parasitário...


A cerâmica Dominó, é uma empresa privada de capitais exclusivamente portugueses, sediada em Condeixa, perto de Coimbra, criada há cerca de trinta anos por uma grupo de pessoas tendo à frente um empresário de visão, e presentemente exporta 60% a 65% da sua produção para os grandes países da Europa central, norte e sul, estando também presente nos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Estados Unidos da América e em alguns mercados árabes e da Europa de leste.

Nos tempos da recessão e da bancarrota para onde a esquerda que nos governa atirou o país (e que já parecem ter sido rapidamente esquecidos), a empresa quase soçobrou. Os mercados fecharam-se, a construção civil nacional deu o berro (felizmente, talvez...), o país estava à beira de mais uma bancarrota socialista provocada pela esquerda e tudo se encaminhava para o costumeiro e miserável desfecho: o encerramento.

Contudo, recorrendo a apoios da União Europeia e com muito sacrifício e trabalho esforçado dos seus gestores e com a dedicada colaboração da grande maioria dos seus trabalhadores, a empresa conseguiu manter-se de pé e reestruturar-se, diversificar os seus mercados, de modo a que, actualmente, se tornou numa empresa capaz de enfrentar os desafios que os tempos lhe vão colocando se, entretanto, nada vier a complicar a sua vida.

Depois de anos e anos a acumular prejuízos - mas a manter-se em funcionamento e a pagar sempre pontualmente aos seus trabalhadores - a empresa regressou aos lucros - ainda que timidamente - em 2016. Contudo regressar aos lucros não significa anular todo o passivo até então acumulado. E só foi possível acumular passivo - o que permitiu pagar aos trabalhadores - porque os bancos, acreditando na capacidade da empresa, foram emprestando dinheiro.

Pois bem...!!! Acontece que mal cheirou a dinheiro e mal luziram lucros, os comunas sindicalistas da cgtp não estiveram com meias meças e puseram-se a caminho, plantando um grupelho de agitadores, capitaneados pelo pinoca do electricista da carris, a fazer barulho à porta da fábrica, exigindo aumentos...!!!

Assim, parece que 40 dos cerca de 170 trabalhadores da fábrica, que labora por turnos, concentraram-se hoje de manhã à porta das instalações, contando com a presença do secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, que se solidarizou com a reivindicação dos trabalhadores
Portanto representatividade sindical é isto: menos de um quarto dos trabalhadores, maestrados por um pinoca, fazem barulho enquanto os demais trabalhadores ... trabalham...

E, na ocasião, arenga o pinoca da cgtp: “Ao longo dos anos, quando teve problemas, foram os trabalhadores que se sacrificaram e os responsáveis por lhes dar dinâmica para que sobrevivesse e, agora, num quadro em que tem lucros, o que se justifica é que os distribua também por aqueles que produziram riqueza, que são os trabalhadores”. Mais: o pinoca da cgtp considerou importante que a empresa rapidamente reúna com o Sindicato de Cerâmicos do Centro e encontre uma solução para o problema, “que passa inevitavelmente pelo aumento dos salários”.

Fica, pois, claro que as coisas só se resolvem se a empresa ceder à chantagem de um sindicato quase inexistente e que é (mais) uma marioneta da cgtp, e pagar aquilo que eles querem.
De outro modo eles encarregar-se-ão de destruir a empresa tal como destruíram milhares delas nos últimos 44 anos. Quando é que actuações como esta, oportunistas e chulas, acabarão de vez...???

E por falar em destruição: como é que vamos de AutoEuropa...???

« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

» Enviar um comentário